arte sacra  
homeartistacursosexposiçõesprodutosobrasarte sacracontato







vídeos
Jesus Cristo, ontem, hoje e sempre.
texto de Dom Bruno Gamberini.

Esta invocação tem-se repetido frequentemente na Igreja Católica neste Ano Santo do Grande Jubileu.
São 2000 anos de Encarnação e Nascimento do Filho Eterno do Pai, por obra do Espírito Santo, do seio da Virgem Maria.
O Papa João Paulo II convocou a Igreja a celebrar este GRande Jubileu com a Bula "Incarnationis Mysterium" (O Mistério da Encarnação).
O grandioso painel do pintor Sérgio Prata que inauguramos na Festa de Cristo Rei do Ano 2000 nesta Igreja Cristo Rei de Atibaia (SP), Diocese de Bragança Paulista, apresenta Jesus como o Centro e o Rei do Universo. Das extremidades do painel ao centro vemos as galáxias, os astros e as figuras angélicas que circundam e acompanham o Pai Eterno Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis, que contempla amoroso a sua obra: " Deus viu todas as coisas que tinha feito e eram muito boas" (Gen 1,31), e reflete o seu rosto na face do Filho: "Quem me vê, vê o Pai". (Jo 14,9).
Em frente ao Pai Eterno está o Espírito Santo que, desde o início pairava sobre a obra da Criação (Gen 1,2).
À frente do Espírito está a figura de uma pomba, pois nesta forma o Espírito Santo apareceu quando Jesus foi batizado por João no rio Jordão (Mc 1,10), e quando também se ouviu a voz do Pai: "Tu és o meu Filho amado, em ti coloco todo o meu amor".

cristo rei

* Movendo o olhar das extremidades, da escuridão e distâncias imensas e desconhecidas da grande obra da Criação, percebemos o primeiro círculo em torno ao Cristo Rei, os minerais e metais, com as montanhas e todo tipo de rochas e pedras.

* Em seguida, vem o círculo da vida dos vegetais, com meção da fruta e flor símbolos de Atibaia: o morango e a rosa.

* Segue o círculo dos animais, depois o círculo da vida humana e o círculo dos coros evangélicos e, no centro, a figura majestosa do Cristo Rei a quem tudo converge e de quem toda Criação recebe vida, força e razão de existir (Col 1, 15).

Em meio aos vegetais, vêem-se o trigo, a videira e a oliveira sendo cultivada, fruto da terra e do trabalho humano, que dão o pão, o vinho e o óleo para os sacramentos da vida cristã. Em meio aos animais, nos braços e no tronco da cruz de luz que abraça todo o painel, encontramos a águia, o leão, a figura humana e o touro que representam os quatro evangelistas (João, Marcos, Mateus e Lucas).

No círuclo da vida humana estão representadas as várias etnias, povos e raças, e diversas atividades do trabalho humano: braçal, intelectual e tecnológico.

A oração da Igreja e dos povos aparece na celebração da Eucaristia, representada ao lado da cabeça do Cristo. Ganham realce a figura da família humana e a Virgem Maria que recebe, pelo SIM da Encarnação o brilho de ouro em suas vestes, próprio da glória das três Pessoas da Santíssima Trindade. A Virgem Maria atravessa o círuclo dos coros evangélicos e toca o centro do Mistério, onde Jesus Cristo, o seu Filho, o Rei com olhar sereno e firme está abençoando e unificando o Universo no gesto dos braços e das mãos.

Jesus Cristo é o Rei coroado de espinhos; conheceu as dores, doenças e sofrimentos humanos, agora glorificados pela Ressurreição, e mostra nas mãos e em seus pés as chagas do homem das dores crucificado. Do seu lado aberto pela lança brota um rio de água viva que dá vida a todos os seres ao seu redor. Este rio, que banha a criação e transborda para todos os lados do painel, simboliza a Igreja, o Corpo de Cristo que preenche todo o Universo.

O Cristo Rei tem a cruz como seu trono: "Aproximemo-nos então com segurança do trono da graça para conseguirmos misericórida e alcançarmos perdão, como ajuda oportuna" (Heb 4,16). A cruz é gloriosa, é de luz e, tendo o seu centro no plexo do Cristo Rei é projetada sobre todas as criaturas até as extremidades do painel. "Pelo sangue derramado na cruz de Cristo, única glória dos cristãos, Deus quis fazer a paz com todas as suas criaturas, as da terrae as do Céus" (Col 1,20).

Jesus Cristo, Homem-Deus, é o centro da história humana e dos mistérios da Fé. O Mistério Pascal de Cristo, sua vida-morte e ressurreição é o centro dos mistérios da nossa fé: a Criação, a Encarnação, a Redenção e a Glorificação na Vida Eterna. "Há um só Deus e um só mediador entre os homens, um homem Cristo Jesus que se deu em resgate por todos" (1 Tim 2,5).

Cristo é o Alfa e Omega, (primeira e última letra do alfabeto grego) (Ap 1,8), o Princípio e o Fim de todas as coisas, nele e por ele tudo foi criado pelo Pai (Ef 1,3-14). Ele está vivo e presente em sua Igreja até o fim dos séculos.

Dom Bruno Gamberini, Bispo Diocesano
Atibaia, 26 de Novembro de 2000.
Ano do grande Jubileu, 500 anos de Evangelização no Brasil.
75 anos da Diocese de Bragança Paulista.

 

Homenagem à Dom Bruno, por Sérgio Prata.
30 de Agosto de 2011.

Enciclopédia
Atelier Prata - Tel 55 11 4035-2057 - Cel 55 11 9597-0275 - artista@sergioprata.com.br